27 dezembro 2005

Ronaldo (ficou na N-4, com o Batata)
“Eu acho que eu tive uma experiência à tarde e outra agora, à noite. Foram experiências totalmente distintas. À tarde eu tive uma decepção... não uma decepção, mas um desânimo com o qe “rolou” e agora à noite eu tive um ânimo. Me animou de ver, porque como o Batata falou, teve piadinha, tem um pessoal assim meio criança na hora de prestar a atenção às explicações. Isso tem e é normal. Mas acho que na hora da atividade eles foram muito bons, eles discutiram, eles trabalharam mesmo. Esse Tiago, esse aluno que o Batata falou, um rapaz muito maduro para a idade dele, foi lá na frente apresentar o trabalho dele e foi de uma sensibilidade que arrepiou. O jeito que ele falou... falou de uma maneira que você sente mesmo... falou que ele não se sente humano, porque ele não consegue emprego, se sente excluído, que é muito ruim não ter dinheiro, não sabe o que fazer. Eles conseguiram expor o que eles estavam pensando, sentindo, de uma maneira discutida e de uma maneira muito bem posta. Foi isso que eu achei. Achei muito legal.”